Sana é um dos melhores destinos do estado no ranking Veja Rio

Paisagem do Sana. Macaé/RJ - Data: 08/01/2013 Foto: Erica FerreiraNão foi à toa que o Arraial do Sana, na Região Serrana de Macaé, foi indicado pela Veja Rio como o quarto melhor destino para se curtir os feriados de 2015 do Estado do Rio. Lugar famoso pelas boas vibrações, pelas noites ao som do forró, do reggae e do samba. Mas também ao som das cachoeiras e da natureza. Depois que o sol nasce, trilhas ecológicas pelo circuito das águas e ainda até o Pico do Peito do Pombo, com 1.400 metros de altitude, são destinos certos. De longe, parece mesmo a silhueta de um pombo pousado sobre uma rocha. De lá, pode ser avistada uma paisagem fascinante até o mar, em direção ao município Casimiro de Abreu. Também localizado em Macaé, o Parque Nacional de Jurubatiba ficou com o nono lugar da revista.

Partindo da feira de artesanato local, a CriaSana – que fica em frente à praça principal – grupos de até quinze pessoas podem ser formados sob a organização de guias habilitados pela Secretaria de Ambiente (Sema) para as principais cachoeiras ou para o Pico do Peito do Pombo. Já o encontro de famílias com crianças acontece bem no início do circuito das águas, na cachoeira ‘Escorrega’, que forma uma piscina de no máximo um metro. Muitas outras se encontram pela trilha do Rio Peito do Pombo. As mais importantes são: ‘Sete Quedas’, excelente para relaxar e fácil de identificar pelos sete degraus formados sob a queda d’água. A cachoeira ‘Pai’ tem uma queda de 16 metros e bacia de águas cristalinas, além de um poço profundo, mas saltos são indicados apenas a pessoas com experiência e que conheçam bem o local. Há risco de acidentes graves (descolamento de retina, entorses, fraturas e morte). Essa cachoeira fica a cerca de 40 minutos do ponto de partida. Já a ‘Mãe’ tem queda de 12 metros. O acesso a ela é pela margem oposta à trilha. Entre as quedas d’água ‘Mãe’ e ‘Escorrega’ fica a ‘Filho’. Por ser de difícil acesso, a visitação é recomendada somente com guia.

Entre o Arraial do Sana e a Barra do Sana há ainda a cachoeira ‘Fervedeira’, com volume d’ água concentrado. É uma queda do Rio Sana, que nasce na Cabeceira do Sana e atravessa todo o distrito, desaguando no Rio Macaé, na Barra do Sana. No distrito, estão localizadas também a do Segredo, a do Silêncio, a Escondida, a Santa Rosa, a das Andorinhas, entre outras surpresas. Quem não se contentar com as cachoeiras, subindo em caminhada moderada por aproximadamente por 4 horas e meia pelo circuito das águas, irá se deparar com uma vista muito especial no Pico do Peito do Pombo

– Além da conquista pessoal por estar ali, fica em nós aquele visual deslumbrante. Muitas florestas. Uma paisagem variada até o mar, em direção a Casimiro de Abreu – relatou o turismólogo da Fundação de Esporte e Turismo de Macaé (Fesportur), Erick Coelho.

A Fesportur, a Sema e a Secretaria de Trabalho e Renda, por meio do Centro de Educação Tecnológica e Profissional (Cetep), em colaboração, organizaram o curso ‘Condutores de Trilhas no Sana’, que teve início em outubro de 2014. A previsão é que catorze guias se formem na primeira turma, em abril. No currículo estão incluídos: habilitação para salvamento, primeiros socorros, história e geografia do Sana, fundamentos de turismo, técnicas de condução de grupo, entre outros conteúdos.

Além de investir em recursos humanos, a prefeitura investirá, neste ano, em sinalização turística para o Arraial e para as trilhas. Estudos também estão sendo feitos, voltados para a localidade, como a catalogação das espécies de pássaros. O objetivo é desenvolver uma nova modalidade de turismo, o ornitológico, de observação de aves.

O Arraial do Sana tem uma rede de hospedagem aconchegante e variada, que vai de sítios pousadas, passa por chalés, pousadas bistrô, ‘hostel’, até campings. São cerca de doze unidades cadastradas. Os restaurantes, para todos os gostos e bolsos, são catorze. Em plena Mata Atlântica, uma equipe da Secretaria de Ambiente transmite aos frequentadores as regras de visitação às trilhas do Peito do Pombo, que é área de preservação ambiental.

Os guias de turismo fornecem dicas para que as surpresas do passeio sejam apenas as boas: use calçados resistentes e confortáveis, porte sua água potável e seu lanche leve, use roupas frescas, boné, protetor solar e repelente de insetos; leve também celular (há sinal no Pico), lanterna (se possível) e sacola para recolher seus resíduos. Não é permitia a ingestão de bebidas alcoólicas e levar animais domésticos. O passeio é recomendado a pessoas com bom preparo físico e com ausência de doenças que podem se agravar com o esforço. O passeio não é indicado para crianças menores de 10 anos. Outra dica é que as saídas aconteçam no início da manhã ou no fim da tarde e que todos estejam atentos à possibilidade de ‘cabeça d’água’ (cheia repentina do rio).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s