Operações da Polícia Ambiental apreendem 58 pássaros silvestres em Campos e Itaocara

Quatro pessoas foram detidas, 58 pássaros silvestres e duas espingardas foram apreendidas, nos últimos três dias, em operações deflagradas por policiais da Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) do Parque Estadual do Desengano, administrado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), nos municípios de Campos e de Itaocara, nas Regiões Norte e Noroeste fluminenses, respectivamente. As fiscalizações foram realizadas a partir de denúncias de prática de caça e possível tráfico de animais silvestres em áreas situadas no entorno da unidade de conservação.

No município de Campos, em uma área rural situada no distrito de Santa Maria, a equipe encontrou 17 pássaros silvestres mantidos em cativeiro e sem a devida autorização de órgão ambiental em uma residência. Uma pessoa foi detida.

Em Itaocara, na região conhecida como Batatal, os policiais apreenderam 27 pássaros silvestres mantidos em cativeiro em uma residência. Duas pessoas foram detidas. Em Laranjais, outra localidade de Itaocara, a equipe apreendeu duas espingardas e 14 aves silvestres que estavam em uma casa onde uma pessoa também foi detida. Todos os presos foram conduzidos à 135ª Delegacia de Polícia (Itaocara) onde prestaram esclarecimentos.

Todos os detidos responderão por crime ambiental com base na lei 9.605/1998 (Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente), Artigo 29 (trata, dentre outros, da prática da caça de animais silvestres bem como de espécies da fauna silvestre em cativeiro ou para comercialização). Um dos detidos, flagrado pela polícia com duas espingardas escondidas em casa, responderá por posse ilegal de arma com base na Lei 10.826/2003 (Estatuto do Desarmamento), Artigo 12 (posse irregular de arma de fogo).

Os pássaros apreendidos serão conduzidos para o Comando de Polícia Ambiental (CPAm), em Bonsucesso, no município do Rio de Janeiro, e serão submetidos à avaliação do estado de saúde por um médico veterinário e, posteriormente, devolvidos à natureza.

Para o chefe do Parque Estadual do Desengano, Carlos Dário, as constantes apreensões de pássaros em cativeiro, demostram a permanente necessidade de uma política pública de educação voltada para as crianças:

“Isso porque tanto a caça quanto a posse irregular de animais silvestres representam fortes traços culturais das gerações mais antigas”, ressaltou.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s