POLUIÇÃO DA ÁGUA DE TORNEIRA POR ALUMÍNIO

(Exclusivo para o Blogdoguida)

O alumínio é o metal em maior quantidade na Terra e é obtido naturalmente a partir de alguns minérios, o principal deles a bauxita.

Este metal está presente nos utensílios domésticos, na fiação elétrica, na construção civil, nos aditivos alimentares, como os edulcorantes, e também na água potável.

A presença deste metal na água potável se deve à utilização do sulfato de alumínio (Al2(SO)3)) na etapa de coagulação, em estações de tratamento de água, onde as partículas de impurezas em estado coloidal são agregadas e posteriormente se depositam no fundo devido à gravidade.

O coagulante químico mais utilizado no Brasil e também no Canadá, é o sulfato de alumínio. Durante minha graduação em Química Industrial na Universidade Federal Fluminense (UFF), quando  cursei Química Ambiental, visitei a Estação de Tratamento de Água de Laranjal, e durante meu mestrado em Ciência da Água visitei duas estações de tratamento de água em Quebec, província francesa do Canadá.
As três estações que visitei utilizavam o sulfato de alumínio como coagulante.
Mas há outros coagulantes químicos que podem ser empregados no processo, como os sais de ferro (cloreto férrico) ou os polímeros orgânicos.

Na França, onde há uma enorme preocupação com a qualidade da água e muitos estudos científicos relacionados à exposição prolongada ao alumínio no organismo humano, a maior parte das estações de tratamento de água utiliza cloreto férrico ou polímeros neste processo de coagulação da água, a fim de evitar danos à saúde da população.

Segundo diversos estudos científicos, a exposição prolongada ao alumínio pode levar a danos ao sistema nervoso central, causando problemas neurológicos nos adultos e autismo em crianças pequenas.

A exposição aguda ao alumínio está diretamente ligada a doenças neurológicas como a fadiga crônica e o mal de Alzheimer.

Além disto, estudos bioquímicos mostram claramente que o alumínio no organismo humano tende a substituir elementos como o ferro, o cálcio e o magnésio da estrutura óssea, provocando dores articulares.

Sabendo de toda a problemática do alumínio envolvendo a saúde pública, uma questão fica na mente: por que a maioria das estações de tratamento de água, no Brasil e no Canadá, continua utilizando o sulfato de alumínio como coagulante químico, se  poderia utilizar outros coagulantes com a mesma eficiência e muitas vezes com melhor viabilidade econômica?

O governo francês, na realidade desde o governo de Jacques Chirac, através do Artigo 5 de Medidas para o Meio Ambiente (Charte de l’environnement), prevê que as autoridades coloquem em prática processos de avaliação de riscos coletivos, para a sociedade e para o meio ambiente, e que adotem medidas para minimizar seus impactos.

Infelizmente, Brasil e Canadá, países abundantes em água doce, parecem ignorar esta questão.

Fonte: www.astucesnaturelles.net (12/10/2016)

Maria Carolina Marques Braga

Química Industrial, especializada em Química Ambiental e em Ciência do Meio Ambiente e Mestre em Ciência da Água.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s