Rio reduz em 90% as emissões de poluentes

Jornal do Brasil
26/01 às 14h31 – Atualizada em 26/01 às 14h33

Apesar do crescimento urbano, o ar do Rio está mais puro. De acordo com o 2º Inventário de Emissões Veiculares da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, lançado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), houve uma redução de até 90% das emissões poluentes veiculares em relação ao primeiro inventário, publicado em 2004. A grande redução registrada nesses 12 anos ocorreu apesar da ampliação de 186 para 1.233 de vias inventariadas e da frota (de 885.716 para 1.352.561) consideradas no estudo.

Para se chegar a esse percentual, o Governo do Estado intensificou as vistorias sobre os veículos, melhorou o programa Procon Fumaça Preta, de controle de emissão de poluentes dos ônibus e caminhões – alimentados por diesel – e incentivou o uso do Gás Natural Veicular (GNV), além de cumprir as normas do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente).

– Colaboramos imensamente com o programa nacional de controle da poluição veicular. Seguindo a resolução do Conama, implantamos o programa de inspeção e de manutenção de veículos em uso. As vistorias são feitas em parceria com o Detran, desde 1997, e somos o único estado a fazer isso. O objetivo da vistoria é encorajar o proprietário a fazer manutenção em seu veículo e a usar combustível de boa qualidade – explicou a gerente da Qualidade do Ar do Inea, Luciana Ventura.

Ações nacionais

Ações nacionais favorecem os esforços do instituto fluminense: um programa para que as refinarias produzam combustíveis de melhor qualidade e uma política estabelecida para melhorar a tecnologia dos veículos, para que saiam de fábrica poluindo menos o ambiente.

Com o tempo, os motoristas do estado vão ampliando a consciência sobre sua parcela de responsabilidade na qualidade do ar.

– A conscientização do uso racional dos veículos é maior no Rio de Janeiro do que nos outros estados. Quando o carro não está em bom estado para circular nas vias, o motorista opta por outros meios de transporte, como a bicicleta – disse Luciana Ventura.

Metodologia inovadora determina a qualidade do ar

A qualidade do ar é determinada pela forma como os poluentes lançados na atmosfera interagem com as condições meteorológicas e as características do terreno em determinada região.

O último inventário, que foi elaborado durante dois anos, traz uma metodologia inovadora de cálculos de emissões de fontes móveis, adotada na nota técnica do 2º Inventário Nacional de Emissões Rodoviárias, publicado em 2014 pelo Ministério do Meio Ambiente. O documento leva em consideração a idade dos carros, os combustíveis utilizados e a intensidade do uso dos automóveis.

Foram calculadas as emissões de cada via das regiões administrativas da cidade do Rio, assim como dos demais municípios da Região Metropolitana. O inventário está disponível no portal http://www.inea.rj.gov.br.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s